Quedas em idosos – a casa pode ser um dos principais fatores de risco

O Brasil já não é mais um país jovem. A população brasileira está envelhecendo e, na maioria das pessoas, o envelhecer tem maior impacto, como a perda da massa muscular (sarcopenia), enfraquecimento ósseo (osteoporose ou osteopenia), diminuição da acuidade visual, distúrbio do equilíbrio e doenças como diabetes e hipertensão, condições essas que podem levar a pessoa idosa a ter quedas e, consequentemente, sofrer fraturas e traumas advindos dessas situações.

O Brasil já não é mais um país jovem. A população brasileira está envelhecendo e, na maioria das pessoas, o envelhecer tem maior impacto com a perda da massa muscular (sarcopenia), enfraquecimento ósseo (osteoporose ou osteopenia), diminuição da acuidade visual, distúrbio do equilíbrio e doenças como diabetes e hipertensão, condições essas que podem levar a pessoa idosa a ter quedas e, consequentemente, sofrer fraturas e traumas advindos dessas situações.

Porém, não é apenas o avançar da idade que pode provocar tais acidentes, alerta o Dr. Rodrigo D’Alessandro de Macedo, especialista em Coluna e membro do corpo clínico do Instituto Mineiro de Ortopedia e Traumatologia-IMOT. Segundo ele, 54% de queda em idosos são causadas por ambiente inadequado. “Assim, manter a casa segura é uma das principais recomendações que faço para o idoso não correr riscos. Para isso, algumas medidas são necessárias, como:

  • 1) Evitar tapetes;
  • 2) Evitar pisos escorregadios;
  • 3) Usar o corrimão;
  • 4) Nunca subir em bancos para pegar objetos (exemplo: pegar algo na parte superior do armário);
  • 5) Subir ou descer escada com os dois pés apoiados (sobe com um pé e depois com o outro no mesmo degrau, somente após os dois estarem apoiados é que passa para o próximo degrau);
  • 6) Devido a alteração da acuidade visual, tomar cuidado redobrado com escadas;
  • 7) Usar piso ante derrapante no banheiro;
  • 8) Instalar corrimão próximo ao vaso sanitário;
  • 9) Em se tratando de pacientes com risco elevado de queda recomenda-se tomar banho assentado;
  • 10) Ao sair da cama, ficar por 20 segundos assentado na beirada, ficar em pé encostado na cama por mais 20 segundos, somente após esse período iniciar a locomoção (especialmente a noite é frequente o idoso ir ao banheiro, levantar muito rápido e no meio do caminho apresentar uma tonteira e cair);
  • 11) Manter a casa bem iluminada;
  • 12) Em situações de risco elevado, usar uma bengala ou até mesmo andador – explicar que se trata de uma medida profilática para queda (muitos pacientes não usam por preconceito de uma imagem de debilidade);
  • 13) Usar chinelos que prendam a porção posterior do pé e que não tenham solado liso;

14) Nunca andar de meia.

Importante lembrar também que as quedas de própria altura são a principal causa de morte acidental em pessoas com idade acima de 65 anos. Esses acidentes podem também gerar outras consequências, como traumas na coluna e fraturas do punho, fêmur e quadril, levando à incapacidade, conclui o Dr. Rodrigo D’Alessandro.

 

Portal Medicina & Saúde (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes