Ortopedistas mineiros apoiam Maio AmareloEste mês o poder público e a sociedade civil se unem através do movimento Maio Amarelo para chamar a atenção da população para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Os ortopedistas que, no seu dia a dia profissional veem, junto com outros colegas médicos, essas tragédias humanas, se unem à essa campanha através da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Em Minas, a entidade é representada pela sua Regional SBOT MINAS, que abraça a iniciativa, preocupada com a elevada incidência dos acidentes no trânsito também no estado.

O ortopedista Cristiano Menezes: “o uso do celular causa mortes e sequelas, muitas delas irreversíveis”

Este mês o poder público e a sociedade civil se unem através do movimento Maio Amarelo para chamar a atenção da população para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Os ortopedistas que, no seu dia a dia profissional veem, junto com outros colegas médicos, essas tragédias humanas, se unem à essa campanha através da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Em Minas, a entidade é representada pela sua Regional SBOT MINAS, que abraça a iniciativa, preocupada com a elevada incidência dos acidentes no trânsito também no estado.

Dados da Polícia Rodoviária Federal apontam Minas Gerais, entre os estados brasileiros, com o maior número de acidentes nas rodovias federais em 2017. Ao todo, foram registradas mais de 12,7 mil ocorrências, duas mil a mais do que no Paraná, que vem na sequência com o maior número de batidas. Nas estradas mineiras, 869 pessoas perderam a vida e 13,1 mil ficaram feridas ano passado

Para se ter ideia da gravidade dessa situação, destaca o presidente da SBOT MINAS, Dr. Cristiano Menezes, “para cada pessoa que morre em virtude de acidente de trânsito, 11 ficam com sequelas, 38 são internadas e 380 precisam de atendimento ambulatorial (dados da SBOT) ”. Existe ainda um custo social imenso causado pela perda de vidas e pela incapacitação para o trabalho de pacientes arrimo de família, acrescenta, chamando a atenção ao fato de que “são mortes e ferimentos evitáveis, desde que o motorista e o pedestre observem as leis de trânsito”.

O álcool é um dos principais responsáveis pelos acidentes. Hoje, dirigir alcoolizado é considerado imoral e ilegal. “Porém, o mesmo não acontece com o uso do celular, que causa também mortes e sequelas, muitas delas irreversíveis. Inúmeros acidentes têm ocorrido justamente pela irresponsabilidade do motorista em usar o celular ao dirigir, seja conversando, enviando ou recebendo mensagens, sem se preocupar com o risco que corre”, enfatiza.

Ultimamente, devido ao perigo que representa o uso do celular ao dirigir, a Sociedade Brasileira Ortopedia e Traumatologia, através de campanhas educativas, procura alertar os motoristas. “Em frações de segundos, você pode perder a vida ou sofrer sequelas irreversíveis somente por ter atendido uma ligação enquanto está ao volante”, observa o Dr. Cristiano Menezes, citando ainda algumas dicas importantes de prevenção: se for viajar de carro, mantenha a atenção redobrada na sinalização viária, nos limites de velocidade e nos demais veículos ao seu redor (faça direção defensiva); mantenha as revisões de seu carro em dia e utilize sempre o cinto de segurança, inclusive no banco de trás; as crianças devem ser transportadas no banco de trás, sempre com cinto de segurança (caso tenha até sete anos, utilize a cadeirinha apropriada); e os motociclistas devem usar sempre o capacete e roupas adequadas.

E, atenção: respeito ao motorista, motociclista, ciclista e pedestre são fundamentais para reduzir os acidentes. Cuidado também com as pessoas idosas ao vê-las atravessarem as ruas, pois são vítimas diárias do trânsito.

 

Portal Medicina & saúde: (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes