O poder da música

Por: Ellen Cristina Souza Teixeira/ Fisioterapeuta / Graduação em Fisioterapia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (2002). Pós-Graduada em Fisioterapia em Geriatria e Gerontologia pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Membro da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG).

A música acalma, estimula a memória, alivia a dor e ajuda nos exercícios. Ouvir música não é apenas entretenimento e uma medida para acalmar e relaxar. Ela pode trazer muitos benefícios à saúde, como alívio da dor, melhora da memória e até estímulos para atividades físicas. Além disso, funciona como um 'remédio' para vários problemas. Isso ocorre porque a música ativa o centro de prazer do cérebro, assim como o sexo e o chocolate, por exemplo. Libera dopamina e causa sensação de bem-estar. Por isso tem sido utilizado por médicos, terapeutas e fisioterapeutas no tratamento de diversos problemas, com ótimos resultados.

A música acalma, estimula a memória, alivia a dor e ajuda nos exercícios. Ouvir música não é apenas entretenimento e uma medida para acalmar e relaxar. Ela pode trazer muitos benefícios à saúde, como alívio da dor, melhora da memória e até estímulos para atividades físicas. Além disso, funciona como um "remédio" para vários problemas. Isso ocorre porque a música ativa o centro de prazer do cérebro, assim como o sexo e o chocolate, por exemplo. Libera dopamina e causa sensação de bem-estar. Por isso tem sido utilizado por médicos, terapeutas e fisioterapeutas no tratamento de diversos problemas, com ótimos resultados.

Em relação à atividade física, a música pode ajudar a embalar o exercício e torná-lo mais fácil e agradável. É um estímulo importante para quem se exercita, pois disfarça a sensação de cansaço, dor e fadiga, e, ao contrário, traz uma boa sensação de alegria e motivação, deixando a pessoa mais confortável.

O mesmo vale para música para dormir ou acordar. Sons mais lentos e graves, por exemplo, ajudam a pessoa a se livrar das preocupações e comprovadamente facilitam o sono e combatem a insônia. Por outro lado, sons vivos, enérgicos e acelerados te deixam alerta e ajudam a acordar pela manhã.

Outro aspecto interessante é que a música pode trazer de volta memórias antigas. Ela pode ajudá-lo a lembrar onde você guardou as chaves do carro. Foi comprovado cientificamente também que a música é benéfica no tratamento de pessoas com Alzheimer, ajudando, por exemplo, a resgatar partes de seu passado. Os médicos descobriram que a música tem grande potencial para desenterrar velhas memórias de seus pacientes, incluindo aqueles em estágios avançados de demência. Então, se você deu o seu primeiro beijo ao som de Elvis, a música pode fazer você reviver essa memória.

Como funciona? Ouvir música é uma atividade que trabalha várias partes do cérebro em ambos os hemisférios, razão pela qual pode criar atividades cerebrais variadas, o que uma conversa não poderia. Outra área estimulada é o hipocampo, região do cérebro que lida com o armazenamento de memória de longo prazo. Quando você ouve uma música que conhece, os sentimentos associados a ela voltam ao hipocampo. Às vezes, as memórias avivam sentimentos. Então espero que você não tenha ouvido nada na primeira vez que chutou uma lata de lixo. Mesmo que as memórias não sejam recuperadas, as emoções e atitudes o são, permitindo que as pessoas que nem mesmo conseguem se lembrar de quem são se lembrem dos sentimentos que experimentaram antes. Então, aumente o volume e permita-se viajar nos mais variados sons para ativar lindas lembranças e viver com saúde e felicidade!

 

Portal Medicina & Saúde (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes