Infarto e AVC : a importância da prevençãoO infarto e o Acidente Vascular Cerebral – AVC -, este popularmente conhecido como derrame, são duas doenças cardiovasculares graves que matam muitas pessoas no Brasil e podem deixar sequelas no paciente de forma a afetar definitivamente a sua vida e a de seus familiares.

A cardiologista Patrícia Lages da Silveira: “a prevenção, acompanhada por um bom especialista, é muito importante”

O infarto e o Acidente Vascular Cerebral – AVC -, este popularmente conhecido como derrame, são duas doenças cardiovasculares graves que matam muitas pessoas no Brasil e podem deixar sequelas no paciente de forma a afetar definitivamente a sua vida e a de seus familiares. De acordo com o “Cardiômetro” da Sociedade Brasileira de Cardiologia, indicador do número de mortes por doenças cardiovasculares no Brasil, criado pela entidade, só no ano de 2017 foram mais de 380.000 pessoas que morreram devido a doenças cardiovasculares no Brasil, principal causa de morte no país, seguindo-se pelo câncer, acidentes e violência.

Para a coordenadora do Serviço de Cardiologia do Hospital Vila da Serra, Dra. Patricia Lages da Silveira, especialista em Clínica Médica e em Cardiologia, “o que mais me assusta é a idade com que os eventos estão surgindo, atingindo cada vez mais jovens. Nos últimos tempos, pessoas aparentemente saudáveis têm evoluído para colocação de stent coronariano ou até mesmo para uma cirurgia cardíaca. Por essa razão insisto que a prevenção, acompanhada por um bom especialista, é muito importante. ”

Mas o que vem a ser o Infarto e o AVC (derrame)? Segundo a médica, o infarto acontece quando os vasos sanguíneos, que fornecem sangue ao coração, ficam entupidos, ou obstruídos, devido a uma vaso constrição, impedindo que chegue oxigênio suficiente ao órgão.

“Da mesma forma que ocorre com o coração, o AVC é a morte de um pedaço do tecido cerebral devido à falta de irrigação por uma obstrução, sendo denominado, nesse caso, AVC Isquêmico, ou quando há um rompimento de um vaso no cérebro, deixando a região sem circulação sanguínea adequada, situação essa que chamamos de AVC Hemorrágico”, informa a Dra. Patrícia Lages.

A cardiologista destaca que o infarto, verificado mais comumente acima dos 55 anos, pode ocorrer em qualquer idade, principalmente se existem outros fatores como o uso de drogas, como cocaína, e algumas doenças reumatológicas, como Lúpus e Vasculites.

O AVC também tem sua predominância a partir dos 55 anos, com o aumento de sua prevalência com o avançar da idade. “Mas também pode acontecer como no infarto, em qualquer faixa etária”, alerta.

Causas - As principais causas para as doenças cardiovasculares, como o infarto e o AVC, são o tabagismo (principal causa de morte evitável no mundo), hipertensão arterial, diabetes, colesterol alto, estresse e histórico familiar.

O diagnóstico, tanto do infarto quanto do AVC, quando feitos de maneira bem precoce, em um serviço de referência, aumenta muito a chance de êxito no tratamento e, consequentemente, diminui o número de sequelas. “Essas podem ser catastróficas, principalmente no que se refere à vida produtiva”, acrescenta a especialista, chamando a atenção para o tratamento medicamentoso. Segundo ela, atualmente as medicações mais potentes permitem um melhor controle na prevenção primária, quando ainda não houve o evento, e secundária, quando já houve o evento das doenças cardiovasculares como um todo.

A Dra. Patricia Lages salienta que a precocidade no diagnóstico é importante no infarto e no AVC. “No caso do AVC Isquêmico, se diagnosticado nas três primeiras horas em um centro de referência, pode-se fazer uma medicação que ajuda a dissolver o trombo, o que diminui muito a chance de sequela. Para o infarto, o tempo de diagnóstico também é fundamental. A colocação de um stent coronariano de forma precoce, seguida do uso de medicações modernas, que evitem seu fechamento, melhoraram muito a evolução desses pacientes”. Entretanto, a prevenção das doenças cardiovasculares é fundamental. Nesse sentido, informa, “algumas dicas são importantes e devem ser observadas: prática de atividade física, não fumar, beber com moderação, manter uma alimentação saudável (rica em frutas, vegetais, castanhas e outros alimentos oleaginosos). Ainda: evitar fritura, gordura e carboidratos refinados, além de reduzir o estresse através de atividades como Yoga e Acupuntura”.

Serviço de Cardiologia do Hospital Vila da Serra

Alameda Oscar Niemeyer, 499, 1º andar
Vila da Serra- Nova Lima- MG
Agendamentos: 31-2342-0600
31- 9 7102-5557 (whatsapp)
www.hospitalviladaserra.com.br

 

Portal Medicina & saúde: (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes