Idosos, adultos, isolamento social e problemas no quadril

Artigo do Dr. Guydo Marques Horta Duarte- chefe do setor de Ortopedia do Hospital Vila da Serra, Cirurgião do quadril, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Quadril (SBQ).

Este momento de isolamento social afastou os idosos da rotina de exercícios físicos. Sem poderem ir à academia ou fazer caminhadas ao ar livre, muitos têm se entregado ao sedentarismo.

O ortopedista Guydo Marques Horta Duarte: “atividades físicas e exposição à luz solar podem melhorar qualidade de vida durante o período de isolamento social”

Este momento de isolamento social afastou os idosos da rotina de exercícios físicos. Sem poderem ir à academia ou fazer caminhadas ao ar livre, muitos têm se entregado ao sedentarismo.

Mas as coisas não precisam acontecer desta forma. A interrupção brusca de atividades físicas pode agravar o quadro de osteoporose, doença comum à maioria dos idosos. Por outro lado, ficar em casa também elimina a possibilidade de exposição à luz solar, uma medida que reduz a produção de vitamina D, essencial para o fortalecimento do sistema imunológico para o combate a viroses, como a causada pelo COVID-19, e para a prevenção e tratamento da osteoporose.

Durante a quarentena não é preciso ficar imóvel dentro de casa. A pessoa pode fazer caminhadas dentro do apartamento, ao redor do quintal, nas áreas comuns dos condomínios ou, ainda, exercitar-se em bicicletas fixas, desde que tome as medidas necessárias para evitar contato físico com outras pessoas.

Outra medida importante é tomar sol. Quanto maior a área do corpo exposta, maior a produção de vitamina D. O horário pode variar. Pela manhã, até as 10 horas e, à tarde, após as 16 horas, pelo menos por 15 minutos e sem o filtro solar.

Além dessas medidas melhorarem a qualidade de vida de forma geral, auxiliam também os idosos manterem a saúde mental e fortalecerem o músculo esquelético, especialmente do quadril, uma articulação essencial para a locomoção, onde são comuns fraturas causadas pela osteoporose.

Pessoas que já possuíam, antes do isolamento social, sintomas na região do quadril, podem esperar alguns dias para procurar atendimento médico. Mas, se ocorrer o agravamento repentino da dor e piora da capacidade de marcha, é mandatório procurar um serviço de pronto atendimento.

Em caso de dor causadas por quedas é imperativo o atendimento em regime de urgência. Em idosos, as consequências podem ser mais graves e uma fratura sem diagnóstico e tratamento adequados pode ter sérias consequências.

Durante a temporada de quarentena deve-se melhorar as condições de segurança das casas para os idosos. Evitar móveis na área de circulação, fios passando de um ponto para o outro e vasos e tapetes em locais de risco são medidas que evitam quedas. Da mesma forma, no quarto de dormir, ter sempre uma luz acesa a noite, orienta o indivíduo nas idas noturnas ao banheiro.

Para adultos que também deixaram a atividade física de lado por conta da prevenção ao coronavírus, a recomendação é a mesma. Quem já faz musculação e tem academia no condomínio, pode usá-la, desde que tome os cuidados necessários para se prevenir contra o coronavírus, como higienizar aparelhos com álcool gel e ficar pelo menos 1,5 m a 2,0m do vizinho. Os alongamentos também são muito importantes e recomendados.

 

Portal Medicina & saúde: (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes