Cuidado com as cirurgias plásticas estéticas!

As cirurgias plásticas são cada vez mais frequentes no Brasil. No caso das cirurgias plásticas estéticas, será que todas elas são mesmo necessárias? Surgem, eventualmente, notícias de pacientes que morrem durante uma cirurgia. Evidentemente, são poucos os casos diante do número imenso de procedimentos que são realizados no Brasil todos os dias. Para que se tenha uma ideia, no ranking mundial de cirurgias plásticas, o Brasil fica à frente de Japão e México, atrás apenas dos Estados Unidos.

A cirurgiã plástica Vivian Lemos: “é necessário buscar profissionais habilitados para os procedimentos cirúrgicos propostos”

As cirurgias plásticas são cada vez mais frequentes no Brasil. No caso das cirurgias plásticas estéticas, será que todas elas são mesmo necessárias?

Surgem, eventualmente, notícias de pacientes que morrem durante uma cirurgia. Evidentemente, são poucos os casos diante do número imenso de procedimentos que são realizados no Brasil todos os dias. Para que se tenha uma ideia, no ranking mundial de cirurgias plásticas, o Brasil fica à frente de Japão e México, atrás apenas dos Estados Unidos.

No dia 16 de dezembro, em Belo Horizonte, uma mulher de 48 anos morreu quando fazia uma cirurgia de redução de mamas, em uma clínica de estética no Barro Preto, região Centro-sul da capital mineira. De acordo com notícias veiculadas na mídia, a paciente Adriane Zulmira do Nascimento, de 48 anos, teve um problema respiratório, a pressão aumentou durante o procedimento e ela não resistiu. Portanto, o que seria motivo de alegria para a paciente se transformou em uma tragédia, com tristeza para os familiares de Zulmira.

Segundo o site G1/Globo, parentes disseram que a paciente entrou na sala de cirurgia por volta das 7h da manhã. A família dela foi informada às 11h de que havia algum problema.

Também, de acordo com o G1, “Ao chegar ao local, parentes disseram que a clínica sugeriu que o atestado de óbito constasse que a causa da morte era indeterminada, já que uma perícia seria mais demorada.

Advogados que representam o centro médico disseram que a causa da morte será investigada, mas trabalham com a hipótese de a paciente ter tido complicações devido a um efeito colateral da anestesia. ”

Mas a nossa reflexão aqui são as cirurgias plásticas desnecessárias e o cuidado que as pacientes devem ter ao procurar um cirurgião plástico e, é claro, muita atenção para o local onde a cirurgia será realizada, verificando se esse local tem as condições necessárias para a realização do procedimento.

O Portal Medicina e Saúde ouviu a médica Vivian Lemos, cirurgiã plástica do Núcleo Rara, Chefe da Equipe de Cirurgia Plástica do Hospital Vila da Serra e Responsável técnica da empresa RECONSTRUIRE, sobre o assunto. Para ela, “Os casos, onde a mulher ou o homem se sentem constrangidos socialmente com um problema corporal, são, a meu ver, as indicações mais importantes para uma cirurgia estética como, por exemplo: as hipertrofias mamárias e as ginecomastias (mamas volumosas em homem). Ao contrário disto, torna-se necessário ponderar o que está muito bom para idade e biotipo da paciente e o desejo da perfeição que ela nos apresenta no ato da consulta. É nesta busca que, muitas vezes, a imprudência, a imperícia e a negligência podem acontecer e culminar com o óbito. A fim de evitar este desastre, é necessário buscar profissionais habilitados para os procedimentos cirúrgicos propostos; ter conversas presenciais em consultório médico, para um diálogo aberto entre paciente e médico, e observar, com critério, a segurança do local onde será realizada a cirurgia."

 

Portal Medicina & saúde: (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes