Como prevenir e corrigir a hipercifose torácica (curvatura da coluna)

Com o avançar da idade, a tendência do corpo humano é se encurvar, causando problemas na coluna, na respiração e até no equilíbrio do idoso. Para saber mais sobre esse assunto e como se prevenir desses males através da atividade física, o portal Medicina e Saúde ouviu a professora de Educação Física e personal trainer Thaisa Diana Gonçalves Lopes. Ela é graduada pela Faculdade Pitágoras e professora de musculação na Academia Dtox, em Belo Horizonte.

A professora de Educação Física e personal trainer, Thaisa Gonçalves Lopes: “a inatividade do corpo, reduz a capacidade muscular de sustentação corporal”

Com o avançar da idade, a tendência do corpo humano é se encurvar, causando problemas na coluna, na respiração e até no equilíbrio do idoso. Para saber mais sobre esse assunto e como se prevenir desses males através da atividade física, o portal Medicina e Saúde ouviu a professora de Educação Física e personal trainer Thaisa Diana Gonçalves Lopes. Ela é graduada pela Faculdade Pitágoras e professora de musculação na Academia Dtox, em Belo Horizonte.

Com o avançar da idade, a tendência do corpo humano é se encurvar. Por que?

Não apenas a longevidade, mas a inatividade do corpo, reduz a capacidade muscular de sustentação corporal, o que leva a uma curvatura da coluna vertebral, que pode ser acentuada ou não. Esse aumento define-se como hipercifose torácica e é mais frequente em idosos devido ao envelhecimento.

A hipercifose postural relacionada a idade e uma curvatura anterior excessiva da coluna torácica, conhecida como corcunda ou deformidade gibosa, dificultam a mobilidade e aumentam o risco de queda.

A origem da hipercifose não é bem definida. Ela pode ter origem na fraqueza muscular e na doença degenerativa do disco, ou de fraturas vertebrais que antecipam seu desenvolvimento.

O que acontece com o organismo para que isso aconteça?

Devido a idade avançada, o ritmo de vida desacelerado e a má postura, o idoso tende a ter perda de massa óssea, de força muscular, enfraquecimento dos músculos extensores da coluna e redução da sua mobilidade independente. Como compensação, ele tende a projetar seu tronco pra frente, fazendo com que aumente o ângulo da cifose.

Esse processo pode ser agravado pela vida sedentária. A inatividade do corpo compromete o alinhamento postural, por ocorrer elevação da gordura corporal e aumento do tecido adiposo. Devido a isso, o corpo precisa fazer uma compensação para manter o equilíbrio, o que acarreta o aumento do ângulo da cifose torácica.

Quais outros problemas podem ocorrer?

Além de dores musculares e na coluna, essa curvatura mais acentuada pode levar a problemas respiratórios em consequência da diminuição dos movimentos do tronco para as respostas motoras e das alterações na mecânica ventilatória, acarretando alterações nos volumes pulmonares e na diminuição de força dos músculos respiratórios.

Essa fraqueza muscular respiratória pode afetar a expansibilidade da caixa torácica, acelerando, dessa forma, o trabalho respiratório e reduzindo a eficácia da tosse. Além disso, pode, inclusive, provocar sérios problemas respiratórios, levando à diminuição da independência do idoso.

Esse processo é comum a homens e mulheres?

Sim, mas é mais frequente em idosos, com predominância estimada de 20% a 40% entre homens e mulheres.

A partir de que idade ele começa a acontecer?

Desde a infância até a fase adulta, devido aos maus hábitos posturais e estilo de vida sedentário.

Há como reverter esse processo?

Na literatura há vários relatos da combinação de exercícios físicos, como musculação, e de exercícios de mobilidade para a diminuição da curvatura da coluna torácica. Ao lidar com idoso, observo que atividade física personalizada beneficia em muito a postura e, consequentemente, os problemas advindos pela curvatura da coluna acentuada pelo avançar da idade.

Como isso acontece?

Entre os benefícios da atividade física estão a melhora postural e a marcha do idoso, diminuindo, assim, a incidência de quedas. Alguns autores sugerem que a prática pode favorecer a manutenção do alinhamento postural normal, ou seja, quanto mais ativo o indivíduo, menor o grau de hipercifose torácica. Alguns estudos científicos têm comprovado a musculação como um tratamento eficaz no que se trata da diminuição do ângulo da cifose torácica, pois promove vários benefícios ao indivíduo que possui alteração postural, entre eles, aumento da densidade óssea, ganho de força muscular e melhora na flexibilidade, promovendo também o fortalecimento dos músculos extensores da coluna. Com isso diminui o ângulo da curvatura da cifose torácica, identificando melhora na postura do idoso e alívio das dores.

Quais as dicas que você pode dar como prevenção?

Iniciar a pratica de atividade física, de preferência a musculação, pois além de fortalecer os músculos, fortalece também a massa óssea. O programa a ser desenvolvido pelo profissional de educação física deve observar exercícios que fortaleçam os músculos extensores do tronco e os músculos escapulares, exercícios de alinhamento postural e de estabilização do transverso do abdome, combinando com exercícios de mobilidade articular.

 

Portal Medicina & saúde: (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes