Combate ao fumo!

Tabaco é responsável por 25% dos casos de infarto, metade dos derrames cerebrais e eleva em três vezes as chances de morte súbita.

Todos nós conhecemos pessoas que ainda fumam, apesar de todas as informações amplamente divulgadas sobre os malefícios do fumo. As consequências para a saúde são graves, podendo aumentar os riscos para doenças como infarto e avc (acidente vascular cerebral), câncer no pulmão, entre outras.

Crédito: Designed by Freepik

Todos nós conhecemos pessoas que ainda fumam, apesar de todas as informações amplamente divulgadas sobre os malefícios do fumo. As consequências para a saúde são graves, podendo aumentar os riscos para doenças como infarto e avc (acidente vascular cerebral), câncer no pulmão, entre outras.

Fumar em público, nas mais diversas situações, foi muito glamurizado pelo cinema décadas atrás, mas essas gerações, de uma maneira geral, tomaram conhecimento dos sérios riscos à saúde. Mais recentemente, muitos jovens estão fumando, o que deve ser combatido, para que evitem doenças que surgirão no futuro desses fumantes.

No dia 29 de agosto foi comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo e a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo aproveitou a data para alertar sobre o fato de o tabagismo ser uma doença, assim como a diabetes e a hipertensão, por exemplo. “Um fumante disposto a largar o vício precisa de acompanhamento médico e de uma estratégia terapêutica, com uso de medicações para ter mais sucesso”, diz a assessora científica da SOCESP e diretora do Programa de Tratamento do Tabagismo do Incor, Jaqueline Scholz.

Para quem busca apoio, os tratamentos antitabagismo, inclusive, são disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) gratuitamente. Assim, procure ajuda! Você sabia o quanto o cigarro afeta o seu coração? Dados da SOCESP apontam que o tabaco é responsável por 25% dos casos de infarto, metade dos derrames cerebrais e eleva em três vezes as chances de morte súbita. Deixar de fumar traz recompensas em pouco tempo:

  • • 20 minutos depois do último cigarro, a pressão e a frequência cardíaca já normalizam
  • • Após 2 horas não há mais nicotina circulando no sangue
  • • Entre 12 e 24 horas, os pulmões já funcionam melhor
  • • Após 48 horas, o olfato e o paladar estão mais aguçados
  • • Um ano sem tabaco e o risco de infarto é reduzido pela metade

• Entre 5 anos e 10 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao de uma pessoa que nunca fumou.

Com essas informações da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo/SOCESP, você - fumante -, vai continuar a fumar?

 

Portal Medicina & Saúde (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes