Câncer de rim: prevenção e tratamentoO câncer de rim representa cerca de 3% das doenças malignas das pessoas adultas e é o terceiro mais frequente do aparelho geniturinário.  De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2018 serão diagnosticados 6.270 novos casos dessa doença, sendo 3.760 em homens e 2.510 em mulheres. “Conhecido também como hipernefroma ou adenocarcinoma renal, o câncer de rim acomete geral indivíduos entre 50 e 70 anos”, destaca o médico Bernardo Pace, coordenador do serviço de Urologia do Hospital Vera Cruz.

O urologista Bernardo Pace: “alguns sintomas podem ser sinais de alerta”.

O câncer de rim representa cerca de 3% das doenças malignas das pessoas adultas e é o terceiro mais frequente do aparelho geniturinário. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2018 serão diagnosticados 6.270 novos casos dessa doença, sendo 3.760 em homens e 2.510 em mulheres. “Conhecido também como hipernefroma ou adenocarcinoma renal, o câncer de rim acomete geral indivíduos entre 50 e 70 anos”, destaca o médico Bernardo Pace, coordenador do serviço de Urologia do Hospital Vera Cruz.

Segundo ele, embora seja um dos dez tipos de câncer mais comuns, ele é muito difícil de ser diagnosticado precocemente. Mas alguns sintomas podem ser sinais de alerta, com o sangue na urina, que pode ser da cor rosa, marrom, ou com descoloração vermelha; e dor na região lombar- pode variar entre uma dor surda a uma pontada aguda. Outro sintoma é a presença de uma massa ou protuberância no abdômen, além do indivíduo apresentar anemia (palidez) e fadiga, bem como perda de apetite, de peso e febre sem motivo aparente. Evidentemente, destaca Dr. Bernardo, “esses sintomas são comuns a outras patologias. Por essa razão, é importante consultar seu médico”, ressalta o especialista, chamando ainda atenção para os fatores de risco que podem influenciar o desenvolvimento do câncer. Entre eles estão o tabagismo, a obesidade, a exposição ocupacional a determinadas substâncias como cádmio, herbicidas e solventes orgânicos, histórico familiar, pressão arterial elevada, doença renal elevada, gênero (o carcinoma e células renais é cerca de duas vezes mais frequente em homens do que em mulheres).

Alerta - Nesse particular, acrescenta, “é importante observar que pessoas com vários fatores de risco podem não desenvolver a doença, enquanto outros, sem fatores de risco, poderão tê-la. É difícil saber com certeza quanto o fator de risco contribui para o desenvolvimento da doença. ” Entretanto, ressalta o urologista, alguns fatores de risco devem ser observados para o câncer de rim e vários outros tipos de câncer e outras patologias.

O tratamento definitivo ocorre através da nefrectomia radical. Hoje, o padrão ouro do tratamento do câncer de rim é a abordagem laparoscópica ou robótica. A cirurgia pode ser feita, dependendo do volume tumoral e da localização, retirando-se completamente o rim, ou, então, realizando uma cirurgia conhecida como nefrectomia parcial, onde se retira o tumor, com margem de segurança, e preservando o rim.

Portal Medicina & saúde: (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes