Câncer de Próstata: vá anualmente ao urologista. A doença é assintomática.

O Câncer de próstata continua a ser temido pelos homens, embora com o diagnóstico precoce, a possibilidade de cura está em torno de 95%. Claro que com o passar dos anos, com os avanços cirúrgicos da Urologia, aliados ao novo comportamento do homem contemporâneo, mais envolvido com prevenção, este tipo de câncer não é mais encarado da mesma forma, comparando-se com décadas atrás. Daí a necessidade de continuarmos a destacar a importância do diagnóstico precoce, alertando para os homens, principalmente acima dos 50 anos de idade não deixarem de fazer os exames de rotina anuais.

Mauro Estevam: “é importante fazer anualmente o exame preventivo, muito simples e eficaz”

O Câncer de próstata continua a ser temido pelos homens, embora com o diagnóstico precoce, a possibilidade de cura está em torno de 95%. Claro que com o passar dos anos, com os avanços cirúrgicos da Urologia, aliados ao novo comportamento do homem contemporâneo, mais envolvido com prevenção, este tipo de câncer não é mais encarado da mesma forma, comparando-se com décadas atrás. Daí a necessidade de continuarmos a destacar a importância do diagnóstico precoce, alertando para os homens, principalmente acima dos 50 anos de idade não deixarem de fazer os exames de rotina anuais.

Para falar sobre sua história, o Portal Medicina e Saúde entrevistou Mauro Estevam, 63 anos, casado, aposentado, que descobriu um câncer de próstata em 2018.

Sr. Mauro, o senhor tinha sintomas?

Não. Foi assintomático, com “PSA” baixo, próstata de tamanho normal, pequena.

Quais sentimentos o senhor teve ao receber o diagnóstico?

Digo que não se faz omelete sem quebrar os ovos. Você tem um diagnóstico de câncer e a expectativa e sensação de uma “castração”. Decisão difícil de ser tomada, mas vence o bom senso de que a saúde está em jogo e acabamos por optar de correr os riscos. Como qualquer cirurgia, fiquei apreensivo. Obviamente quando está em jogo sua virilidade, o aspecto psicológico fica bastante alterado. Principalmente com o fantasma da impotência.

Qual foi o tratamento cirúrgico?

Prostatectomia radical, Laparoscópica Robótica.

Como foi o pós-operatório?

Recebi alta no dia seguinte. Existe o incômodo da sonda por uma semana.

Hoje, o senhor tem alguma dieta alimentar?

Nenhuma. Alimentação normal.

O senhor pratica atividades físicas regularmente?

Sim. Caminhada, academia com alongamentos, exercícios aeróbicos e musculação. Nada radical, somente manter o equilíbrio.

Após o momento inicial do câncer de próstata, o que mudou “para melhor” na sua vida?

Toda mutilação é uma perda e toda perda pode comprometer a qualidade de vida. Você não é mais o mesmo após a cirurgia. O que ponho em mente é que a cirurgia foi bem-sucedida e, até aqui, curado. A partir daí assumimos uma nova postura de vida.

Com relação à família e amigos, o que mudou? E a maneira de encarar a vida?

Com a família e amigos de maneira geral, tudo normal. Encarar as adversidades da vida é um constante desafio. Aceitar as vontades de Deus é o maior dom da vida.

Agora, já curado, qual o alerta que o senhor faz para que os homens façam a prevenção depois dos 50 anos?

É importante fazer anualmente o exame preventivo, muito simples e eficaz. É importante ter a consciência de que não acontece somente com seu amigo ou vizinho. Jamais imaginaria que pudesse acontecer comigo.

Sr. Mauro, gostaria de acrescentar mais alguma coisa?

Na vida, muitas coisas precisam ser colocadas na balança, avaliar os prós e contras, tomar a decisão correta e seguir em frente.

Sobre o assunto, o Portal Medicina e Saúde ouviu também o médico José Eduardo Távora, coordenador do serviço de Urologia do Hospital Vila da Serra:

“O câncer de próstata é uma doença indolente, ou seja, na grande maioria das vezes silenciosa. Tem caráter hereditário e com fenômenos ambientais que contribuem para seu aparecimento, como hábitos sedentários, alimentação com excesso de gordura animal, hábito de fumar, entre outros fatores que contribuem para o seu aparecimento.

É uma doença que se manifesta na periferia da glândula prostática. É assintomática na maioria dos casos. O exame PSA marcador tumoral e o toque retal podem ajudar no diagnóstico precoce e tratamento.

É importante salientar que o câncer de próstata, se diagnosticado na fase precoce, tem 95% de possibilidade de cura. Portanto, após os 50 anos todo homem deve ir ao urologista e, caso tenha histórico familiar para a doença, isso deve ser feito após os 45 anos.

Cuide-se e lembre-se sempre da importância do diagnóstico precoce”.

Portal Medicina & Saúde (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes