Câncer de Mama: uso abusivo de bebida alcoólica aumenta o risco do aparecimento da doençaIndependente do já tradicional Outubro Rosa, com ações educativas em todo mundo, é sempre importante alertar as mulheres sobre a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. No entanto, um fator de risco para o aparecimento da doença é pouco salientado: a ingestão de bebidas alcoólicas. De acordo com o oncologista da Oncomed, Leandro Ramos, os fatores de risco potencialmente modificáveis respondem por aproximadamente 23% dos cânceres de mama, sendo a obesidade e o álcool os dois maiores. O Ministério da Saúde considera uso abusivo de álcool a ingestão de quatro ou mais doses entre as mulheres e cinco ou mais doses entre os homens em uma mesma ocasião durante um mês.

O oncologista Leandro Ramos: alerta sobre o uso abusivo de álcool entre as mulheres

Independente do já tradicional Outubro Rosa, com ações educativas em todo mundo, é sempre importante alertar as mulheres sobre a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. No entanto, um fator de risco para o aparecimento da doença é pouco salientado: a ingestão de bebidas alcoólicas. De acordo com o oncologista da Oncomed, Leandro Ramos, os fatores de risco potencialmente modificáveis respondem por aproximadamente 23% dos cânceres de mama, sendo a obesidade e o álcool os dois maiores. O Ministério da Saúde considera uso abusivo de álcool a ingestão de quatro ou mais doses entre as mulheres e cinco ou mais doses entre os homens em uma mesma ocasião durante um mês.

A pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018, mostra que o uso abusivo cresceu mais entre as mulheres do que nos homens. Em 2006, 7,7% das mulheres fizeram uso abusivo da substância. No ano passado, o porcentual chegou a 11% dessa parcela da população, crescimento de 3,3 pontos percentuais.

Pesquisas também apontam que pessoas têm dificuldade em precisar quanto consomem de álcool. Mais da metade das participantes (56%) de uma pesquisa divulgada no site científico Live Science, não souberam estimar qual o teor de álcool correto em um copo de vinho, um litro de cerveja, um litro de sidra e uma garrafa de licor. Para o oncologista Leandro Ramos, isso sugere que muitas mulheres podem não saber que seu nível de consumo de álcool está aumentando o risco de câncer de mama, ressalta.

Segundo o oncologista, “a maior parte dos estudos confirma cada vez mais que, quanto maior o consumo de álcool, maior é o risco de desenvolver esse tipo de câncer. No entanto, não foram observadas diferenças neste risco com relação aos tipos de bebida alcoólica”, destaca.

O mecanismo de ação pelo qual o consumo de álcool aumenta o risco de câncer de mama ainda permanece desconhecido, mas atualmente há evidências de que o álcool influencia as vias de sinalização do estrógeno, hormônio fortemente associado ao câncer de mama.

 

Portal Medicina & saúde: (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes