Campanha “Diabetes: Enfermeiros fazem a diferença”

Quando o assunto é diabetes melittus, a melhor forma de tratamento é a informação. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), essa é uma condição crônica caracterizada pelo aumento das taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia) e os tipos 1, 2 e gestacional são os mais comuns. Para alertar a população sobre a prevenção desta doença e suas complicações, foi criada a campanha Novembro Azul que, neste ano, tem como tema “Diabetes: enfermeiros fazem a diferença” para destacar a importância do tratamento multidisciplinar na qualidade de vida do paciente.

A enfermeira Agma Viana Souza: “nosso trabalho é salvar vidas e isso é possível com cuidados simples”

Quando o assunto é diabetes melittus, a melhor forma de tratamento é a informação. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), essa é uma condição crônica caracterizada pelo aumento das taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia) e os tipos 1, 2 e gestacional são os mais comuns. Para alertar a população sobre a prevenção desta doença e suas complicações, foi criada a campanha Novembro Azul que, neste ano, tem como tema “Diabetes: enfermeiros fazem a diferença” para destacar a importância do tratamento multidisciplinar na qualidade de vida do paciente.

A campanha de 2020 destaca que educação e financiamento são vitais para apoiar os profissionais de saúde na luta contra o diabetes e reforça o papel imprescindível do enfermeiro. É também um alerta para aumentar os diagnósticos, melhorar os tratamentos e acompanhamentos, evitando complicações. A enfermeira voluntária do Ambulatório de Diabetes tipo 1 da Santa Casa BH, Agma Leozina Viana Souza, acredita que esses profissionais fazem total diferença no tratamento dos pacientes: “é importante que eles estejam mais presentes, orientando na aplicação de insulina, no uso das medicações orais, nos cuidados alimentares, na prática de exercício físico, além de avaliar os pés, prevenindo amputações e lesões. Nosso trabalho é salvar vidas e isso é possível com cuidados simples”.

A diabetes tipo 2 – a mais prevalente – está associada a fatores de risco como, histórico familiar, idade acima de 40 anos, sedentarismo e obesidade. Mais de 13 milhões de pessoas possuem essa condição crônica no Brasil. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, esse número tende a aumentar. Uma das formas de prevenir o tipo 2 é optar por uma alimentação saudável, rica em verduras, legumes, frutas e carnes, com menos alimentos processados e ultra processados, além de praticar atividades físicas. Essas medidas também são indicadas no tratamento do tipo 1, que não se previne, mas tem controle.

Serviço: O Centro de Especialidades Médicas (CEM) da Santa Casa BH possui um Ambulatório de Diabetes. O paciente que necessita passar por esse tratamento deve ir ao Posto de Saúde mais próximo de casa para receber o encaminhamento. Daí ele será referenciado para o CEM ou para qualquer outra unidade dentro da rede de saúde pública que realiza esse serviço.

Portal Medicina & Saúde (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes