A importância dos “chips hormonais” nos tratamentos médicosComo método contraceptivo, na terapia e na reposição hormonal pós-menopausa, o tratamento por meio de implantes subcutâneos (popularmente conhecidos como “chip”), é eficiente e muito seguro. Com comprimento entre 3 e 5 cm e 2 a 2,4 mm, essas estruturas permitem que a liberação de hormônios, tais como os anticoncepcionais, seja mínima, sendo indicado inclusive para adolescentes, logo após a primeira menstruação.

O ginecologista Walter Pace, Professor Doutor em Ginecologia da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e Titular da Academia Mineira de Medicina

Hormônios são substâncias produzidas por glândulas do sistema endócrino ou por neurônios especializados, para controlar o funcionamento do corpo humano em várias áreas. Esta explicação é importante para compreender a relação dessas substâncias organicamente falando como, também, nos estados emocionais. O sobe e desce das taxas hormonais, por exemplo, que as mulheres experimentam continuamente durante a vida, pode ser causa de mal-estar, redução da capacidade de ganhar massa magra e da libido e, ainda, e de doenças endócrino dependentes como, endometriose, miomas, adenomiose, hiperplasia endometrial, ovários policísticos, e sintomas tais como Tensão Pré-Menstrual (TPM) e as cólicas uterinas.

Como método contraceptivo, na terapia e na reposição hormonal pós-menopausa, o tratamento por meio de implantes subcutâneos (popularmente conhecidos como “chip”), é eficiente e muito seguro. Com comprimento entre 3 e 5 cm e 2 a 2,4 mm, essas estruturas permitem que a liberação de hormônios, tais como os anticoncepcionais, seja mínima, sendo indicado inclusive para adolescentes, logo após a primeira menstruação.

No caso do tratamento de desequilíbrio hormonal, realiza-se o mapeamento detalhado da paciente, sendo possível administrar doses mínimas de hormônio, inclusive de testosterona, em caso de carência. Mulheres que praticam atividades físicas e que querem resultados físicos melhores podem usar os implantes como hormônios anticoncepcionais, que ajudam a atingir este objetivo.

Entre os benefícios podemos citar o aumento de massa magra e da disposição física em geral, cabelo e pele mais bonitos. Há que se destacar, também, que a primeira passagem do hormônio, no caso do uso dos implantes (chip), não é pelo fígado, o que reduz muito os efeitos colaterais do uso dos hormônios quando comparados com os comprimidos tradicionais.

Outros benefícios são a redução do risco de tromboembolismo, a possibilidade do tratamento da TPM, que ocorre pelas variações hormonais diárias, e do risco de engravidar, caso esqueça de tomar a pílula.

Para esses tratamentos, o método que existe há mais de 20 anos é controlado e aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é muito bem-sucedido. No entanto, o que é originalmente um procedimento médico, que requer diagnóstico preciso e individualizado para suprir as necessidades da paciente, tem sido usado, de forma indiscriminada, apenas para fins estéticos, em procedimentos antiaging. A popularização do método para esse fim é tão grande que o chip já recebeu o apelido de chip da beleza”.

Mas a indicação original não é essa. Em busca da juventude eterna, muitas mulheres correm o risco de comprometer a própria saúde em procedimentos de eficácia contestável, já que, junto com os benefícios estéticos que realmente existem, há que se lembrar que a administração de hormônios também tem suas contraindicações.

Na mesma linha, a administração de hormônio masculino para aumentar o rendimento físico da mulher em atividades de alto impacto é outro procedimento de risco. Aproveitar a receita da amiga da academia pode ser, inclusive, fatal!

Sem a devida prescrição médica, em doses acima ou abaixo do necessário, ou com a combinação equivocada de substâncias, a administração de hormônios pode apresentar efeitos colaterais como o aumento da oleosidade na pele, acnes, queda de cabelo, alteração da voz, variação de humor e mal-estar. Em outras palavras, o que deveria ser usado para melhorar o funcionamento do organismo e controlar doenças, pode se tornar um problema para o qual a solução não costuma ser rápida e/ou fácil. Não há beleza maior que a saúde!

 

Portal Medicina & saúde: (31)3586-0937 | FAÇA CONTATO

medicina & saúde nas redes